Logo ASP

Notícias



Operação Caixa d’água: começa a audiência em que casal Garotinho é réu

JTV
Garotinho foi dispensado da audiência

Garotinho foi dispensado da audiência

A audiência instrução e julgamento, do esquema de Caixa 2 para eleição e reeleição do ex-governador do estado, Anthony Garotinho e seus aliados políticos, já teve início, no Fórum Maria Teresa Gusmão. Garotinho e a ex-prefeita de Campos, Rosinha Garotinho foram dispensados pelo juízo. Dez advogados atuam na defesa dos oito acusados.


A defesa pediu que a imprensa não registrasse o momento em que os argumentos em favor dos réus fossem apresentados. O juiz negou o pedido e houve uma discussão. De acordo com um dos advogados, a imprensa poderia gerar publicitação midiática para fins políticos, o que pode vir a prejudicar seus clientes. Mais uma vez, o juiz indeferiu o pedido sob a justificativa de que o processo não corre em segredo de justiça.


Um dos advogados também defende o ex-secretário de Controle Orçamentário e Auditoria do governo Rosinha, Suledil Bernadino. Além de Rosinha, Garotinho e Suledil, também são réus na ação o então presidente Nacional do PR, Antônio Carlos Rodrigues, o genro dele, Fabiano Rosas Alonso, o policial civil aposentado Antônio Carlos Ribeiro, conhecido como Toninho, o empreiteiro Ney Flores e o ex-subsecretário de governo da Prefeitura de Campos, Thiago Godoy.


O ex-vice-prefeito de Campos, Dr. Chicão foi convocado como depoente/testemunha e esteve presente no fórum. A primeira testemunha de acusação do processo a ser ouvida foi Adilson Gomes Barbosa, por volta das 15h. Ele é sogro do empresário André Luis Ribeiro, o Deca, que procurou a Polícia Federal de Campos em 2017 e participou de uma colaboração premiada e delatou o esquema criminoso. Em depoimento à PF, Deca disse que Anthony Garotinho cobrava dinheiro de empreiteiros que prestavam serviço à prefeitura de Campos para utilizar em campanhas políticas. Segundo o empresário, Garotinho alegava que quem não entregasse o dinheiro em forma de doação para campanha não receberia o que a Prefeitura de Campos devia às empresas por prestarem serviços de obra ao município.


Segundo o processo, Deca também foi obrigado a utilizar uma de suas empresas (Ocean Link) para receber R$ 3 milhões da empresa JBF, de Wesley Batista em um falso contrato de prestação de serviço para que esse dinheiro depois fosse entregue a Garotinho.

-------------------------------------------------
terceiravia
http://www.jornalterceiravia.com.br/2018/02/06/operacao-caixa-dagua-comeca-a-audiencia-em-que-casal-garotinho-e-reu/

Mais Notícias

Bolsonaro diz a governadores que há medidas amargas, mas necessárias

Tudo pronto para Bienal do livro

Joaquim Levy aceita convite de Bolsonaro e vai presidir BNDES

Terpor de Macaé vai sair do papel

Morre o ex-presidente da Acic, Amaro Ribeiro Gomes, vítima de câncer

Governador do Rio exonera secretário de Governo e presidente do Detran presos pela PF

FABRICANTES DE ROUPAS PODEM TER QUE INCLUIR ETIQUETAS EM BRAILE EM SEUS PRODUTOS

Gasto com salários de magistrados do TJ-RJ vai subir R$ 43 milhões com reajuste do STF

Prefeitura e Câmara solicitam ao Exército auxílio para recuperar ponte em Macaé

Campos se prepara para 1º Festival de Natal

Operação da Polícia Federal tem como alvo deputados do Rio de Janeiro

Liceu completa 138 anos com diversas atividades

Chuva causa alagamentos e Prefeitura de Macaé decreta estado de calamidade

STF pode julgar novo habeas corpus de Lula ainda este ano, diz Fachin

Bolsonaro vê com \'preocupação\' aumento para ministros do STF

Carrefour compra sites de comida e receitas por transformação digital

Prefeitura de Campos reassume terreno da antiga fábrica de macarrão

Bolsonaro: Na democracia só existe um norte que é o da nossa Constituição

Bolt, carro elétrico da GM, chega ao Brasil em 2019 por R$ 175 mil

Petrobras reajusta botijão de gás de cozinha em 8,5% nas refinarias a R$ 25,07

Expectativa para a Black Friday

CNJ julga juiz que acusou Gilmar Mendes de receber para libertar Garotinho

Defesa de Lula faz novo pedido de liberdade, citando suspeição de Moro

Bolsonaro diz que Moro terá “liberdade” para escolher sua equipe

PF vai investigar organização que tenta impedir apuração do caso Marielle

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas